Escola Militar resgatará valores de civismo e cidadania nos estudantes amapaenses

As escolas estaduais Antônio Messias, no bairro Zerão, e Risalva Freitas do Amaral, no bairro Pantanal, em Macapá, receberão em 2017, um novo modelo de ensino. Elas funcionarão como Escola Militar dividindo a gestão entre a Secretaria de Estado da Educação (Seed) com a Polícia Militar (PM/AP) e o Corpo de Bombeiros (CBM/AP).

A modalidade de ensino já foi apresentada aos pais, alunos, professores e representantes dos movimentos estudantis, militares e sociedade civil. Segundo a Seed, o trabalho vai continuar seguindo a base nacional de ensino, mas com ações pedagógicas militares, abordando assuntos de ética, cidadania, respeito ao próximo, entre outros.

“A Polícia Militar entra resgatando alguns valores que se perderam com o tempo, como a educação moral e cívica e colocando em prática a disciplina militar, além de elevar o nível de instrução dos alunos para que eles se esforcem mais com atividades extras”, explicou o comandante-geral da PM/AP coronel Rodolfo Pereira aos ouvintes do Jornal da Manhã.

“Se a gente conseguir ter uma boa base, vamos ter menos acidentes de trânsito e menos crimes, praticados principalmente pela juventude”, reforçou o comandante-geral do CBM/AP, coronel Wagner Coelho, que també esteve no programa da Rádio Difusora.

A disciplina militar nas escolas servirá não apenas para ajudar na formação do caráter e personalidade do adolescente, como também, funcionará como uma espécie de monitoria. “Ficaremos de olho nos alunos que estiverem fora da sala de aula ‘passeando’ nos corredores”, ressaltou Coelho.

Escola Antônio Messias

A Escola Estadual Antônio Messias, na Zona Sul de Macapá, terá a gestão compartilhada com a PM/AP. A instituição foi escolhida por meio de uma vistoria técnica feita em 2016 pela Polícia Militar, que identificou os requisitos que obedecem ao padrão estabelecido para a implantação do modelo militar, tais como a ampla abrangência do impacto social no bairro da escola e a infraestrutura predial.

A gestão da escola se dará por meio da inclusão de projetos como Peixinhos Voadores, Cidadão Mirim e Programa Educação de Resistência às Drogas (Proerd). O modelo de ensino militar visa trabalhar os objetivos de aprendizado escolar, preparar os jovens para o mercado de trabalho e os exames nacionais da base curricular. O corpo técnico de profissionais da PM que atuarão na escola será, em média, de 30 pessoas.

Escola Risalva do Amaral

A Escola Estadual Risalva Freitas do Amaral, na Zona Norte, terá a gestão compartilhada com o Corpo de Bombeiros. A escola foi escolhida por obedecer aos critérios de localização, maior abrangência (atende alunos de 14 bairros, em média), possuir ampla estrutura física e estar inserida em uma área de vulnerabilidade social. A diretora da escola será a tenente do CBM/AP, Grayce Pantoja.

Os alunos farão parte de projetos sociais já desenvolvidos pela escola Risalva Freitas. Haverá o apoio de monitores que contribuirão para a organização do ambiente e disciplina no espaço escolar. Entre as metodologias de trabalho, está o foco nas metas como melhorar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) da escola, implementar os conteúdos que já estão na matriz curricular como temas abordando cidadania, defesa civil, educação ambiental e disciplina.


Por: Redação RDM - 17/02/2017 - 11:33
Fonte : Rádio Difusora de Macapá